ANS investe em ações que induzem a melhoria da qualidade hospitalar

Uma pesquisa realizada pelo Instituto de Estudos em Saúde Suplementar (IESS) em abril afirma que ter plano de saúde é um dos objetivos mais almejados pelos entrevistados, atrás apenas do sonho da casa própria e da educação. Esse levantamento mostra, mais uma vez, o que há anos vem sendo desejo dos brasileiros, o que pode ser verificado em pesquisas anteriores.

Em decorrência da pandemia causada pela Covid-19, esse dado se comprova: o número de beneficiários de planos de saúde atingiu, em maio, o maior patamar desde julho de 2016. Isso significa que, mesmo diante da crise econômica nacional, investir na saúde continua sendo prioridade.

Um dos principais pontos a serem considerados na escolha de uma operadora é a rede hospitalar disponível. Como forma de conferir informações qualificadas para o beneficiário ou contratante de um plano de saúde, a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) vem trabalhando em ações para indução da qualidade hospitalar e divulgação dos resultados, desde 2016, quando lançou o Programa de Qualificação de Prestadores de Serviço na Saúde Suplementar (Qualiss).

A partir do segundo semestre de 2021, mais uma iniciativa do Qualiss será lançada, o Programa de Monitoramento da Qualidade da Assistência Hospitalar na Saúde Suplementar (PM QUALISS – Hospitalar), que tem como finalidade avaliar e divulgar o desempenho dos prestadores de serviços hospitalares que atuam no setor, por meio de indicadores construídos a partir da literatura científica e com apoio de especialistas.

São duas etapas de avaliação: a primeira etapa consiste na seleção dos hospitais privados com selo de acreditação/certificação, portanto que investem em qualidade e com condição de participar da segunda etapa, que envolve coleta e envio de dados para a ANS, para o monitoramento do desempenho da qualidade desses hospitais. Dentre os 3699 hospitais privados brasileiros, 376 possuem algum tipo de acreditação/certificação, sendo assim, aptos a participar.

Em um segundo momento será realizada a análise de 14 indicadores gerais, sendo dez obrigatórios e quatro opcionais.

O programa é fruto do trabalho desenvolvido no Consórcio de Indicadores de Qualidade Hospitalar, projeto desenvolvido em parceria com o Hospital Moinhos de Vento, via PROADI/SUS no triênio 2018/2020, que teve como uma das principais entregas a criação de sistema de avaliação da qualidade dos hospitais

Com o Programa de Monitoramento da Qualidade da Assistência Hospitalar na Saúde Suplementar, a ANS pretende induzir as boas práticas assistenciais nos hospitais, identificar pontos de aprimoramento e planejar políticas de melhorias.

De acordo com a gerente de Estímulo à Inovação e Avaliação da Qualidade Setorial da ANS, Ana Paula Cavalcante, a divulgação dos indicadores, ao mesmo tempo em que representa um diferencial na contratação de um plano de saúde, também serve para que os hospitais identifiquem áreas e serviços que precisam ser melhoradas.

“Essa é uma grande iniciativa da ANS com foco em qualidade. A nossa motivação é oferecer aos beneficiários de planos de saúde parâmetros de qualidade sobre prestadores, além de oferecer transparência à sociedade e fornecer ao setor meios que permitam melhorias contínuas da prestação de serviços”, salienta.

A ANS tem, ano a ano, incorporado e executado projetos que sirvam à transparência do setor de saúde suplementar e que ofereçam aos usuários ou potenciais usuários ferramentas para a melhor e mais assertiva tomada de decisões.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code